Arquétipos

Nesta segunda quinzena de Julho que começa agora, estamos com todas as
oportunidades de nos reconciliarmos com todas aquelas partes de nós que
ainda se vergam sob o peso da culpa, que clamam por misericórdia e perdão;
no passado, recente ou remoto deixámo-nos exilar e condenar nos confins da
nossa consciência e agora, para que possamos crescer e passar à fase
seguinte da nossa espiral evolutiva, estamos com mais esta oportunidade.
Apenas quando nos sentimos em Paz com todos os nossos “eus”, quando nos
aceitamos com a humildade de querer crescer, então o Perdão aos outros flui
naturalmente de um coração pacificado.


Por sincronicidade, na Cabala Cristã está regente o Anjo Haheuiah que é
invocado por todos aqueles que desejam viver a Paz da Misericórdia e
Perdão Divinos para que possam desenvolver a Qualidade de Carácter do
Perdão, qualidade essa tão bem identificada pela Psicologia Positiva.
[ Já para os finais do século passado, Martin Seligman constatou que toda a
acção das diversas correntes da Psicologia estavam vocacionadas para a
doença mental e nada (ou quase nada) se inclinava para o desenvolvimento e
apoio à saúde mental; reunindo uma equipa sólida identificou nos seres
humanos e em todas as culturas um mapa de 24 Traços/ Qualidades de
Carácter englobados em seis Virtudes, e assim nasce este sistema de
classificação que é a base deste campo mais contemporâneo da Psicologia,
que não substituindo as teorias clássicas, antes sim as vem completar e
enriquecer, apostando nos traços mais sólidos que qualquer um pode
desenvolver de forma a assegurar a sua saúde mental, mesmo perante
catástrofes e perdas pessoais e colectivas como é o caso presente de toda a
humanidade! ]