Amor & Etc…

Marilyn casou várias vezes e terá sido feliz pelo menos num dos seus casamentos, embora apenas durante alguns anos, com o dramaturgo Arthur Miller. Mais uma vez um homem superiormente inteligente, tal como Orson Welles, a grande paixão de Rita Hayworth. Arthur era idolatrado pela elite artística americana, perde-se de amores por uma estrela de Holywwod em ascenção: além da sex bomb, existe um ser frágil, sensível, maravilhoso, um pássaro ferido que precisa de colo, de ninho, de cuidados, de mimo, de atenção, de segurança, de amor e de paz. As fotografias de Artur com Marilyn são de uma ternura que faz comover a alma mais empedernida. Há uma energia no olhar e na forma como estão agarrados que ultrapassa todas os cinismos.

Norma Jean Baker Mortensen,- Marilyn Monroe

Gosto de acreditar que se amaram profunda e apaixonadamente, carne, coração e espírito, nervos e alma, para o mundo e sobretudo para eles mesmos. Mas Marilyn era um ser humano profundamente danificado, carregando dentro e fora do peito uma alma atormentada. Arthur não a conseguiu salvar porque ninguém salva ninguém e Deus ajuda quem se ajuda a si próprio. Durante os anos que estiveram juntos, mal conseguia trabalhar, sentia-se consumido pela mulher e pelos traumas que ela carregava.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.